Carlos Miguel confirma saída do Corinthians e diz que não procurado para renovar seu contrato

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) – O goleiro Carlos Miguel falou sobre a sua iminente saída do Corinthians. Ele concedeu entrevista ao jornalista Benjamin Back. A íntegra vai ao ar às 19h (de Brasília) desta terça (9) no canal Benja Me Mucho, no YouTube, mas um vídeo com recortes foi disponibilizado nas redes sociais.

Carlos Miguel afirmou que não foi procurado pelo clube para renovar seu contrato. Segundo contou no trecho publicado, ele apenas foi chamado para “sentar na sala” na véspera do clássico contra o São Paulo – o último jogo que disputou pelo Alvinegro paulista.

O goleiro também confirmou a saída para o futebol inglês: “Não estou indo para lá ganhar rios de dinheiro como estão falando”. O jogador não citou um clube, mas ele está próximo de ser o novo reforço do Nottingham Forest.

“Não [ninguém do Corinthians me chamou]. Para sentar na sala, acho que faz umas duas ou três semanas… Foi na véspera do jogo contra o São Paulo. Ninguém vai tirar minha alegria de jogar, nunca na minha vida. Pode estar o mundo inteiro contra mim. Eu não estou indo para lá ganhar rios de dinheiro igual todo mundo está falando. Querem falar, podem falar, só que eu vou calar a boca de todo mundo que foi lá falar.”, disse Carlos Miguel, ao Benja Me Mucho.

Carlos Miguel sairá do Corinthians pelo valor de sua multa rescisória: 4 milhões de euros (R$ 23,7 milhões). O goleiro assumiu a titularidade neste ano, antes da saída de Cássio, mas vai se despedir antes do fim do vínculo com o clube do Parque São Jorge, que tem validade até dezembro do ano que vem.

O goleiro também disse que teria renovado seu contrato com o Corinthians. “O contrato, quando favorece o clube, aí é legal. Agora quando favorece os jogadores, eles não gostam”, complementou. Carlos Miguel está afastado no elenco corintiano.

Após as declarações, Benjamin Back pediu desculpas a ele: “Se ninguém te chamou para nada, então tinha que ir embora mesmo”. O jornalista tratou como “assunto encerrado”.

“Ninguém te chamou? Então, assunto encerrado, não tenho que falar mais nada. Tenho que te pedir desculpa. Eu falei: ‘Quero que o Carlos Miguel vá para o inferno’, porque eu pensei que não era possível, mas se ninguém te chamou para nada, então você tinha que ir embora mesmo.”, finalizou Benjamin Back,

Redação / Folhapress

COMPARTILHAR:

Participe do grupo e receba as principais notícias de Campinas e região na palma da sua mão.

Ao entrar você está ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.

NOTICIAS RELACIONADAS