Djokovic sofre dois tombos, mas bate Rune e vai às quartas em Wimbledon

FOLHAPRESS – Depois de três rodadas sendo pouco ameaçado, Novak Djokovic tinha no dinamarquês Holger Rune, ex-top 10 e quadrifinalista de Wimbledon no ano passado, uma ameaça maior nesta segunda-feira, nas oitavas de final do slam britânico. O veterano de 37 anos, então, elevou seu nível, fez uma partida sólida do começo ao fim e aplicou 6/3, 6/4 e 6/2 para conquistar, sem sustos, um lugar nas quartas de final de Wimbledon pela 15ª vez na carreira.

O sérvio, que operou o menisco do joelho direito há pouco mais de um mês, mais uma vez não deu sinais de incômodo físico na região – apenas levou a mão à região do abdômen durante uma parte do segundo set – mas deixou o público preocupado quando escorregou e foi ao chão duas vezes no sexto game no terceiro set.

Seu próximo adversário nesta edição do torneio britânico será o australiano Alex de Minaur (#9), que já enfrentou três vezes antes no circuito mundial. Djokovic lidera o histórico por 2 a 1, com vitórias no Australian Open do ano passado e no Masters 1000 de Monte Carlo deste ano. De Minaur levou a melhor em janeiro deste ano, quando os dois duelaram pela United Cup.

NÚMEROS IMPRESSIONANTES

Djokovic alcançou as quartas de final de Wimbledon pela 15ª vez. Somando todos os torneios do Grand Slam, o duelo de quarta-feira será seu 60º em quartas de final. Ninguém jogou mais quartas de final de slam na história do tênis masculino (Federer é o segundo da lista, com 58).

Nole agora soma 374 vitórias em torneios do Grand Slam, cinco a mais que Roger Federer (369), segundo colocado na lista de vencedores de partidas de simples. Serena é a terceira, com 365.

A vitória de hoje foi a 96ª de Djokovic em Wimbledon. Ele é o quarto maios vencedor de partidas de simples na história do torneio, empatado com Chris Evert. Martina Navratilova (120), Federer (105) e Serena (98) estão acima.

Em confrontos diretos, Djokovic agora tem quatro vitórias contra duas de Rune.

COMO ACONTECEU

O primeiro set foi praticamente definido nos três primeiros games. Rune não entrou bem na partida, e Djokovic venceu os 12 primeiros pontos, o que incluiu uma quebra de serviço. Aos poucos, o dinamarquês foi equilibrando as ações e confirmando ser serviço sem problemas, mas Djokovic tampouco teve seu serviço ameaçado e fechou a parcial em 6/3.

Rune venceu só três pontos no set inicial, mas já estava bem mais à vontade na quadra quando começou o segundo set. Não o bastante, entretanto, para ameaçar o serviço do veterano. Nem mesmo quando Djokovic pareceu incomodado, levando constantemente a mão à região do abdômen. O sérvio até correu para deixar a quadra em uma das viradas de lado, mas retornou rrápido e jogando bem. Bastou um game ruim de Rune, que cometeu seguidos erros não forçados, para que o sérvio conseguisse mais uma quebra de saque e abrisse 5/3 pouco depois. O dinamarquês ainda lutou, salvando seis set points e conquistando um break point no décimo game, mas Djokovic impediu a quebra com um grande saque e fechou a parcial pouco depois.

O terceiro set começou novamente com Djokovic largando na frente e quebrando o saque de Rune logo no primeiro game. O dinamarquês não conseguia tantos pontos de graça com o serviço nem mostrava consistência para vencer tantos ralis contra Djokovic. Assim, sem que Rune encontrasse uma saída, o sérvio seguiu superior. O único susto veio no sexto game, quando Djokovic escorreu duas vezes e foi ao chão em ambas. Ainda assim, salvou um break point com um belo saque e confirmou o serviço para abrir 4/2. Depois disso, Rune não conseguiu mais nada.

ALEXANDRE COSSENZA / Folhapress

COMPARTILHAR:

Participe do grupo e receba as principais notícias de Campinas e região na palma da sua mão.

Ao entrar você está ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.

NOTICIAS RELACIONADAS