Premiado, Instituto Vini Jr aplica ensino antirracista em escolas públicas

RIO DE JANEIRO, RJ (UOL/FOLHAPRESS) – Com sua personalidade e coragem, Vinicius Junior tornou-se um ícone a ser lembrado neste Dia da Consciência Negra. Porém, bem mais do que falar, o atacante faz. E com seu instituto, que recentemente ganhou o Prêmio Sócrates na premiação da Bola de Ouro, vai na raiz, combatendo o racismo através do ensino.

Desde fevereiro, o Instituto Vini Jr. aplica a chamada educação antirracista às centenas de crianças de escolas públicas que são atendidas pelo programa, elaborado com o auxílio do professor Allan de Souza, que tem ampla atuação na área e experiência com oficinas sobre o tema.

Planejado minuciosamente, o projeto foi transmitido, inicialmente, para professores, diretores e funcionários das escolas para que eles sejam multiplicadores e estejam preparados para lidar com as questões de racismo com as crianças. O projeto agora é levar essa visão para todo o país.

“Nosso foco nesta segunda-feira (20) está inicialmente nas professoras, na formação do corpo docente das escolas para metodologias de educação antirracismo. Elas são fundamentais na formação dessa nova geração e precisam estar prontas. Fazemos a formação e um acompanhamento das professoras nas escolas onde já atuamos com o Instituto Vini Jr. E agora com o lançamento do Manual de Educação Antirracista vamos levar esse conhecimento para escolas de todo o país”, disse Victor Ladeira, diretor do Instituto, ao UOL.

Os pontos e a metodologia do programa foram definidos após amplo debate, assim como materiais utilizados, com consultorias a especialistas.

As apostilas utilizadas abordam temas delicados, como a possibilidade de solidão da criança negra e o racismo recreativo, algo que pode ser identificado na rotina dos colégios.

Quero seguir por todos aqueles que estão por vir, para que cada vez possam sofrer menos e saibam se comportar mais com todo o racismo que a gente sofre o tempo todo Vinicius Junior, após Colômbia 2 x 1 Brasil

IMPORTÂNCIA DO MÉTODO

Vini Jr foi vítima de repetidos casos de racismo na Espanha. No fim de outubro, ele novamente recebeu insultos e falou nas redes sociais sobre “o episódio isolado número 19”.

O Instituto trabalha para ajudar a preparar a nova geração. “Enquanto na Espanha o Vini busca mudança nas leis, identificação e punição de atividades racistas, aqui no Brasil estamos preparando uma nova geração de crianças que terão mais informação para lidar contra o racismo que sabemos, infelizmente, que não vai acabar”, disse Victor Ladeira.

Professora da escola municipal Francisco Benjamin Galloti, na comunidade da Providência (RJ), Alinne Ribeiro Lima destacou o suporte dado pelo Instituto Vini Jr nesta causa:

“Encontramos, desde muito novos, crianças que não se reconhecem negras, que já têm falas preconceituosas do dia a dia. E o instituto chegou com essa temática e vem nos auxiliando muito. A formação sobre o antirracismo foi uma coisa que esclareceu muito, nos ajudou a passar aos nossos alunos sobre os conceitos e as nossas falas no dia a dia”, disse.

“Acreditamos que as questões relacionadas à ERER [Educação para as relações étnico-raciais] deveriam ser matéria obrigatória em todas as escolas do país. Na verdade são, está na Base Nacional Comum Curricular, mas muitas escolas não colocam em prática. Nosso trabalho está focado nas crianças negras, na valorização das suas qualidades. Acreditamos que desde cedo as crianças negras precisam aprender sobre questões raciais, precisam saber identificar o racismo e como se posicionarem”, afirma Victor Ladeira, diretor do Instituto Vini Jr

INSTITUTO APLICA ENSINO ATRAVÉS DA TECNOLOGIA

O Instituto Vini Jr. foi fundado em julho de 2021 com o objetivo de oferecer ensino através de tecnologia e com uma linguagem esportiva. As instituições escolhidas possuem um indicador “médio-baixo”, que leva em consideração as características dos indivíduos em relação a sua renda, ocupação e escolaridade.

O projeto criado chama-se “CT Base (Centro de Tecnologias Educacionais Base)”, que consiste na aplicação do ensino através de um aplicativo e com o fornecimento e utilização de tablets, smartphones, laptops e TVs, além de obras de infraestrutura com a temática de futebol e de Vinicius Junior.

O aplicativo utilizado chama-se “Base”, que consiste num software educacional desenvolvido pelo Instituto Vini Jr. e totalmente referenciado pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

Os professores passam por cursos de capacitação para aplicar a metodologia do ensino, que contempla as disciplinas Português, Matemática, Ciências, História e Geografia.

Atualmente, oito escolas recebem esse CT Base. São duas no Rio de Janeiro (RJ), uma em Rio Preto (MG), uma em Novo Hamburgo (RS), duas em Mesquita (RJ) e duas em São Gonçalo (RJ).

O Instituto fez oficinas relacionadas ao estudo antirracista em quatro delas e projeta em outras duas.

Esse aplicativo é bem dinâmico. Eles vão respondendo as perguntas e passando de fases, como se fosse mesmo um campeonato de futebol. Se acertar, aparece um bonequinho do Vini Jr comemorando um gol. Se errar, aparece o boneco dizendo ‘na trave’. Eles amam, porque essa geração é da tecnologia. A questão do lúdico também, as imagens dos movimentos…Então, para eles é ótimo, eles adoram Mariana Carlos Alves, professora da escola municipal Visconde de Sepetiba, em São Gonçalo (RJ)

O QUE É O PRÊMIO SÓCRATES

O Instituto Vini Jr recebeu o Prêmio Sócrates, na Bola de Ouro, no último dia 30 de outubro, em Paris, na França. A premiação é elaborada pela revista francesa France Football e tem como objetivo valorizar jogadores de futebol que promovem ações de solidariedade pelo mundo.

Ao receber o prêmio, Vinicius Junior relembrou a dificuldade para atingir este patamar:

Estou muito feliz de receber esse prêmio, de poder ajudar tantas crianças no Brasil e no meu bairro. Sair da favela, de onde eu saí, é muito improvável chegar até aqui. Eu fico muito feliz de poder ajudá-los. É um sonho muito especial para mim estar aqui com todos vocês Vinicius Junior, após receber o Prêmio Sócrates

Victor Ladeira, diretor do Instituto, lembra que quase 100% do investimento é feito pelo jogador. “É dinheiro direto do Vini, é um investimento para a educação pública do Brasil. Sabemos que transformações na área da educação demandam tempo e investimento. Então, o Vini merece muito esse reconhecimento”, disse.

BRUNO BRAZ, IGOR SIQUEIRA E LUIZA SÁ / Folhapress

Login

Welcome! Login in to your account

Remember meLost your password?

Lost Password