Qual a estratégia do Fluminense no mercado após título da Libertadores

RIO DE JANEIRO, RJ (UOL/FOLHAPRESS) – Entre prováveis saídas, como as de Nino e André, e a necessidade de reposição, o Fluminense já sabe como se comportar no mercado diante do status de atual campeão da Libertadores.

O clube não pretende abandonar o equilíbrio, apesar do salto de receitas neste ano com a premiação pelo título continental e a participação no Mundial de Clubes

O Fluminense não planeja contratações absurdamente acima das condições para não ver o dinheiro todo ir embora, mas sabe que não pode deixar o time se enfraquecer.

O time tricolor entende que se tornou um clube para o qual os jogadores querem ir. Isso pode até baratear algumas negociações, nas quais o projeto do Flu seja o fator decisivo —e não só o dinheiro.

Na hora de contratar, o Fluminense vai mirar jogadores de qualidade de clubes que estejam em baixa ou sem perspectiva de melhora a curto prazo. Isso pode envolver tanto nomes experientes, para reforçar o leque de medalhões, e jovens promissores.

O clube costuma contratar jogadores livres no mercado, porque aí evita desembolso com direitos econômicos.

A diretoria, no entanto, não planeja movimentos mais concretos antes do Mundial de Clubes, que vai de 12 até 22 de dezembro.

“A gente sabe fazer futebol com pouco dinheiro. Isso é importante. Vamos continuar mantendo o equilíbrio para que a gente possa seguir com essa equação com bons times, encantamento do torcedor e aumento de sócios para que o clube possa ser perene e sustentável. Eu acho que o Fluminense tem que aproveitar de maneira inteligente. Continuar montando bons times, continuar disputando todas as competições”, disse Mário Bittencourt, presidente do Fluminense, ao UOL.

QUEM SUBSTITUI NINO E ANDRÉ?

As saídas de André e Nino são tratadas como realidade no Fluminense. No caso do volante, houve um acordo entre jogador, representantes e o clube para que André ficasse até o fim deste ano, apesar do assédio europeu. A expectativa é que as propostas concretas voltem agora no fim do ano. Sem André, Martinelli é o substituto natural.

Com Nino, já há um caminho de saída mais desenhado, que é o Nottingham Forest. De imediato, o Flu voltará a contar com Manoel, que em janeiro já terá cumprido a suspensão por doping aplicada via Conmebol.

IGOR SIQUEIRA / Folhapress

Login

Welcome! Login in to your account

Remember meLost your password?

Lost Password