Quem é Chico Salgado, o personal trainer que transforma físico dos famosos para papéis

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – A barriga chapada de Angélica aos 50, a energia de Bruna Marquezine nas cenas de ação de “Besouro Azul”, os 30 kg a menos de Fabio Assunção para a série “Fim”: tudo isso tem o dedo de Chico Salgado. Amigo de infância e compadre de Bruno Gagliasso, o personal trainer virou queridinho dos famosos e está por trás do preparo físico de atores para papéis no cinema e na TV.

A trajetória de Salgado no meio artístico começou em 2011, quando Gagliasso teve um mês e meio para emagrecer 15 kg entre um papel e outro na TV. O ator vinha da novela “Passione”, em que teve aval da Globo para estar um pouco acima do peso na pele do bon vivant Berilo Rondelli. “Quando fala isso para um cara que já tem briga com a balança, ferrou tudo”, brinca Chico.

“Dei um choque no metabolismo dele. Fomos variando os estímulos: num dia, luta, no outro, musculação, no outro, corrida. Eu não tinha dúvida de que ia dar bom. Gênios da arte, como ele, funcionam assim: eu sabia que em prol de um personagem, ele ia fazer o que precisava. Se fosse por ele, ia ficar enrolando”, se diverte o personal, que é padrinho de Titi.

Quando Bruno voltou enxuto para os Estúdios Globo, a propaganda foi instantânea. A partir daí, a carteira de clientes de Chico só cresceu: vieram Fernanda Paes Leme, Giovanna Ewbank (que ainda não era casada com Bruno), Grazi Massafera, Taís Araujo, Carolina Dieckmann, Ingrid Guimarães, Fernanda Torres, Camila Queiroz e Maitê Proença, só para citar alguns nomes.

TRANSFORMAÇÃO PARA PAPÉIS

Além de cuidar da saúde de seus alunos, que considera sua missão de vida, Chico vem se especializando no preparo físico de atores para projetos que demandam grande mudança física. Atualmente, ele está preparando Alice Carvalho (a Joaninha de “Renascer”) para a segunda temporada de “Cangaço Novo”.

“A equipe do filme ou da série me procura, batemos uma data, e eles pedem o que precisam para cada papel: do ator mais magro, mais forte, que ganhe massa”, explica. “O ator é um profissional que empresta seu corpo para a arte. Ele vira um lutador, um pintor, um super-herói, um paciente terminal. É muita entrega”, diz ele, um admirador das artes cênicas –e até chegou a fazer uma pontinha como policial em “Tropa de Elite”.

Uma das transformações que mais fascina Chico é a de Daniel de Oliveira para viver Cazuza no icônico filme de 2004. “Não cheguei a trabalhar com ele, mas é impressionante. Ele imprime o personagem de outra forma por conta do aspecto físico”, elogia.

Há dois anos, Chico recebeu a missão de derreter 30 quilos de Fabio Assunção para viver um galã dos anos 1980 na série “Fim”. “O Andrucha [Waddington, diretor] me ligou e falou: ‘Você tem um ano para emagrecer o Fábio’. Eu perguntei se o Fabio estava disposto. Ele falou: ‘Tá sim, ele tá amarradão’. Eu falei: ‘Então bora'”, conta o personal.

Outro trabalho recente foi preparar Bruno Gagliasso para viver o irmão de Drauzio Varella, morto por um câncer, na cinebiografia do médico. O desafio foi grande. Chico trabalhou com uma equipe de nutricionista e médico para que o ator emagrecesse 20 kg com segurança. “Ele fez uma dieta muito baixa em caloria, tinha dias que comia 800 calorias [o recomendado pela OMS é 2.400]. Uma coisa bizarra, mas tudo monitorado”, conta.

Até a estreia de Bruna Marquezine em Hollywood teve participação de Chico. “A Bruna já estava pronta. Como era um filme de ação [Besouro Azul] e ela teria algumas cenas, fizemos apenas uma manutenção e ela chegou nos EUA preparada”, conta.

O personal ainda não teve a missão de engordar um ator, mas lembra da história do amigo Wagner Moura. Para viver Pablo Escobar na série da Netflix, Wagner ganhou peso sem nenhum controle. “Ele foi comendo, comendo, e isso foi ruim para ele. Tem que fazer isso com acompanhamento médico, colocando as calorias certas. Ele passou um perrengue depois para perder”, lembra.

Na pandemia, Chico teve uma epifania. “Minha missão de vida é democratizar a saúde. Os números são chocantes, a gente tem 100 milhões de brasileiros que não fazem nenhuma atividade física”, diz ele, que criou uma plataforma virtual de treinos, a CS Team. “Está cada vez mais na nossa cara que a atividade física é essencial. A gente tá num nível de conhecimento fisiológico que a gente não pode dar mole, não pode vacilar. Tenho muito orgulho de todos os meus alunos, de introduzir esse hábito na vida deles”, diz.

ANAHI MARTINHO / Folhapress

COMPARTILHAR:

Participe do grupo e receba as principais notícias de Campinas e região na palma da sua mão.

Ao entrar você está ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.

NOTICIAS RELACIONADAS