“Jamais entregamos qualquer centavo”: Paulo Junqueira fala sobre investigação da PF envolvendo Bolsonaro

Com exclusividade, o empresário rural de Ribeirão Preto negou o repasse de valor durante entrevista ao programa Thathi Cidade, nesta quarta-feira (10)

0
Jair Bolsonaro e Paulo Junqueira | Foto: Rede social

O empresário Paulo Junqueira, durante entrevista ao programa Thathi Cidade, na manhã desta quarta-feira (10), explicou sobre sua citação na investigação da Polícia Federal envolvendo um suposto repasse de dinheiro para o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). 

Em entrevista exclusiva conduzida pelo jornalista João Carlos Borda, Junqueira é questionado sobre uma reportagem do Uol, publicada na noite desta terça-feira (09). O texto aponta que o genro de Junqueira teria entregue um envelope recheado com dinheiro ao ex-presidente, em residência instalada nos Estados Unidos. 

“Eu desconheço qualquer tipo de investigação neste sentido. Até se por acaso, você tiver alguma informação e puder compartilhar, eu agradeço. Não sei se isto está no inquérito das joias ou se eventualmente há outro tipo de investigação. Eu não tenho nenhum conhecimento relativo a qualquer investigação”, respondeu Junqueira. 

O empresário do agronegócio e presidente do Sindicato Rural de Ribeirão Preto continuou se defendendo das acusações. Contrariando as aspas publicadas pelo Uol, Junqueira alega não ter entregue qualquer centavo ao ex-presidente durante estadia na Flórida. 

“Quero deixar bem claro que tanto eu como Samuel (o genro) jamais, em tempo algum, entregamos qualquer valor, qualquer centavo, ao então presidente Jair Bolsonaro, que deixou o país faltando um ou dois dias para terminar o seu mandato”, explicou. 

Quando deixou o país com destino aos EUA, em 30 de dezembro de 2022, Jair Bolsonaro teve a sua disposição um imóvel de Junqueira para estadia no exterior. Inicialmente, Jair foi recebido pelo lutador José Aldo, mas logo se hospedou na residência do empresário de Ribeirão Preto, onde se acomodou até o fim de sua permanência na América do Norte. 

“Repito: jamais, eu ou o Samuel, entregamos qualquer centavo ao ex-presidente. É inegável o relacionamento que eu tenho com ele, isso vem desde 2017 quando ele foi agredido aqui. Em 2018, me envolvi na campanha dele e depois me afastei. Em 2022, eu me reaproximei. A imprensa diz o que ela quer”, continuou. 

Ainda conforme relatado por Junqueira, Samuel teria ido à Flórida somente para preparar o imóvel em que Bolsonaro ficaria hospedado. “Eu acho que se houvesse a necessidade de investigação, eu já teria sido chamado. Tudo contra o ex-presidente Bolsonaro é potencializado”, disse. 

“Estou à disposição não só da Polícia Federal, mas de qualquer autoridade para esclarecer qualquer assunto. A minha casa estava à disposição dele (Bolsonaro), está à disposição dele e sempre estará”, concluiu Junqueira. 

Assista na íntegra. Clique aqui. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui